Virgílio Martinho

[1928-1994]

O singular percurso literário de Virgílio Martinho ficou marcado pela relação próxima que teve com Mário Cesariny e com o “movimento surrealista” do Café Gelo nas décadas de 50 e 60 do século XX   (Alexandre O’Neill, António José Forte, António Maria Lisboa, Cruzeiro Seixas, Herberto Helder e Mário-Henrique Leiria outros).

Em 1958, publicou a novela, de pendor fantástico, Festa Pública, na colecção “A Antologia em 1958”, dirigida por Cesariny Mário Cesariny. O apodo de “surrealista”, que ainda hoje muitos teimam em lhe colar, tem aqui um momento marcante. Na mesma linha, seguiram-se os contos de Orlando em Tríptico e Aventuras (1961), e, noutro registo, Rainhas Cláudias ao Domingo (1972) – três títulos que se reúnem neste volume com que a Companhia das Ilhas inicia a publicação das obras de Virgílio Martinho.

Em 1970, deu início a uma vertente que se tornará dominante na sua obra, o teatro, com a publicação da peça Filopópulus, na revista Grifo (texto encenado por J. Benite em 1973), seguiram-se dezenas de outros no Grupo de Teatro de Campolide, actualmente Companhia de Teatro de Almada.

O Virgílio resistiu, com uma bonomia desconcertante, a modas, escolas e movimentos. Quem conviveu com ele lembrar-se-á sempre do seu riso casquinado, cerveja numa mão e cigarro noutra. É isso.

Agora, deitamos novas luzes sobre os seus textos. Palcos novos para uma obra que será sempre livre.

 

[Carlos Alberto Machado, editor, Julho de 2021].

 

NOTÍCIA BIBLIOGRÁFICA

 

FICÇÃO (publicada)

 

Festa Pública,  1958.

Orlando em Tríptico e Aventuras, 1961.

O Grande Cidadão, 1963.

Rainhas Cláudias ao Domingo, 1972.

Relógio de Cuco, 1973.

A Caça, 1974.

O Concerto das Buzinas, 1976.

O Menino Novo, 1988.

 

TEATRO (publicado)

Textos originais

Filopópolus, 1970].

O Grande Cidadão, 1976.

O Herói Chegado da Guerra e outros Textos em Teatro, 1981.

A Sagrada Família, 1980.

Valentim e Valentina,  1989

Adaptações

O Grande Cidadão, 1976.

1383, 1977.

Aventuras de Till Eulenspiegel, 1978.

 

TEATRO (inédito)

Adaptações

Vida do Grande D. Quixote de La Mancha e do Gordo Sancho Pança, 1971

O Navio Dentro da Cidade, 1979.

1383zinho, 1983.

 

Textos originais

Abite, Abite, Aqui dos de Abite, 1984.

Os Três Patrões Bons, 1975.

Pão de Mel, Lda. 1982.

Réus e Juízes, 1985.

De Pequenino É que se Torce o Pepino, 1988.

Amor a quanto Obrigas,  1990.

O Gelo na Mesa,  1991.

A Próxima Peça, 1994.

A Comédia dos Ociosos, , s.d.

O Panfleto,  s.d.

 

POESIA (publicada)

Vinte e Um Poemas, 2016.

Na Companhia das Ilhas