folha #014


10 de Dezembro de 2019


Depois da negra Sexta-Feira, vêm agora por aí umas festas, de amor & tal (repetidas): há quem fuja, quem fique (resignado) e quem carregue e tente aguentar a pança até ao 2 de Janeiro, a brilhar como novo, diz-se.

Cumprimos a praxe dos “balanços”: mas este é inteirinho e é feito por nós, que não temos de “manter equilíbrios”, empanturrar egos ou pagar favores. E será, como também é da praxe, ignorado pela generalidade da imprensa. A todos os que fizeram os livros connosco; às livrarias e aos leitores: o nosso muito obrigado. Como costumamos dizer no fim desta “folha”: estamos vivos. Agora com exclamação.

BALANÇO DE 2019

Um “balanço” poderá ser apenas esta lista de livros (por ordem alfabética de nome próprio do autor). Assim:

Álamo Oliveira: Contos contados

Álamo Oliveira: Murmúrios com vinho de missa

Alexandre Sarrazola: Triq Gatto Murina

Ana Vitorino, Carlos Costa e João Martins: Teoria 5S / Velocidade de escape

Carlos Alberto Machado: Hotel dos Inocentes

Carlos Alberto Machado: O Universo & Outras Ficções

Catarina Costa: Essas alegrias violentas

Dimas Simas Lopes: O Rapto

FS Hill: Animal Vegetal

Gisela Cañamero: Para além do muro / Jenseits der Mauer

Helder Moura Pereira: O pássaro canta o seu canto simples

Henrique Manuel Bento Fialho: Call Center (2.ª edição revista e acrescentada)

Inês Lourenço: Últimas Regras

Jean-Pierre Sarrazac: A paixão do jardineiro / Neo, três painéis de Apocalipse

José Amaro Dionísio: O nome do mundo 1969-2019

José Manuel Teixeira da Silva (org.): A garganta inflamada

José Manuel Teixeira da Silva (texto), Ana Abreu (ilustrações): Sombramar

José Martins Garcia: Receitas para fritar a humanidade

José Martins Garcia: Revolucionários e querubins

José Ricardo Nunes: Classico

Laurinda C. Andrade: A porta aberta

Leonor Sampaio da Silva (textos), Carlos Carvalho (imagens): Pouca terra

Luís Miguel Rosa: Um dia, um grande homem eloquente

Madalena de Castro Campos: A Gun in the Garland

Maria Graciete Besse: João de Melo. Entre a memória e a perda

Martin Crimp: Definitivamente as Bahamas / Play house

Miguel Falcão e Catarina Firmo (coord.): Marionetas e Formas Animadas: Teorias e Práticas

Nuno Costa Santos: Morrer é não ter nada nas mãos

Paulo da Costa Domingos: Carmes

Paulo Rodrigues Ferreira: Uso Errado da Vida

Pedro Eiras: Museus

Ramiro S. Osório: “aos que chegaram depois” / a vida e o seu duplo

Samuel Beckett: A última bobina / Eu não / Cadeira de embalar

Urbano Bettencourt: Com navalhas e navios

Vasco Rosa: Raul Brandão e os Açores

Vitorino Nemésio: Sob os signos de agora / Conhecimento de poesia

São 35 títulos (três dos programados ficam adiados para 2020).

Alguns sublinhados deste ano de 2019 em “balanço”:

A continuação da publicação de obras completas de Vitorino Nemésio – parceria nossa com a Imprensa Nacional, direcção literária de Luiz Fagundes Duarte -, de Álamo Oliveira e de José Martins Garcia.

Mais ficção portuguesa contemporânea: Alexandre Sarrazola, Carlos Alberto Machado, Dimas Simas Lopes, Henrique Manuel Bento Fialho, Inês Lourenço, José Amaro Dionísio, José Manuel Teixeira da Silva, Leonor Sampaio da Silva, Luís Miguel Rosa, Paulo Rodrigues Ferreira e Pedro Eiras.

Mais poesia portuguesa contemporânea (além das reuniões poéticas de Paulo da Costa Domingos, Ramiro S. Osório e Urbano Bettencourt): os livros de Catarina Costa, Helder Moura Pereira, José Ricardo Nunes, Madalena de Castro Campos e Nuno Costa Santos.

A antologia de poemas de autores que publicaram com a Companhia das Ilhas entre Maio de 2012 e Maio de 2018: A Garganta Inflamada, com selecção, organização e nota prévia do poeta José Manuel Teixeira da Silva.

Mais textos de dramaturgos portugueses em actividade: Gisela Cañamero, publicada em parceria com o grupo arte pública; Ana Vitorino, Carlos Costa e João Martins, publicados em parceria com o grupo de teatro Visões Úteis; e os “clássicos contemporâneos”, de outras latitudes: Samuel Beckett, Martin Crimp e Jean-Pierre Sarrazac, parceria com o Teatro da Rainha. Ainda no âmbito teatral, o livro de ensaios sobre teatro de marionetas (em colaboração com o Centro de Estudos de Teatro da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa).

O ensaio de Maria Graciete Besse sobre a obra de João de Melo: João de Melo. Entre a Memória e a Perda.

Por último, mas não menos importante, o trabalho que traz novas perspectivas sobre a obra de Raul Brandão: Raul Brandão e os Açores, de Vasco Rosa.

Alguns dos nossos trabalhos para 2020:

Ainda de 2019:

Ondas médias / O segredo de Ouro Preto, de Vitorino Nemésio – edição de Cláudia Cardoso.

– Poesia II (1950-1959), de Vitorino Nemésio – edição de Luiz Fagundes Duarte.

Vitorino Nemésio. À luz do verbo, de José Martins Garcia.

E mais de dezena e meia de livros de autores que já publicaram com a Companhia – Cláudia Lucas Chéu, Maria Brandão, Nuno Dempster, Nuno Felix da Costa, Pedro Eiras, Rui Pina Coelho e Urbano Bettencourt – e outros que pela primeira vez connosco publicam: Diniz Conefrey, Emanuel Cameira, Frederico Pedreira, Luís Chacho, Simão dos Reis, entre outros.

Continuamos a aceitar libras.

Companhia das Ilhas

Subscreva para receber novidades sobre os nossos livros

I agree to have my personal information transfered to MailChimp ( more information )

O seu e-mail está seguro. Pode deixar de subscrever a newsletter em qualquer altura.