Sob os Signos de Agora / Conhecimento de Poesia

Vitorino Nemésio

O mais recente volume da nova edição da Obra Completa de Vitorino Nemésio reúne dois livros de ensaio injustamente esquecidos – Sob os Signos de Agora, de 1932, e Conhecimento de Poesia, de 1958, reeditado em 1970 –, onde podemos encontrar um autor que articula como ninguém a erudição académica (que se ocupa, para além da literatura, da história,  da antropologia cultural e da história política) com uma escrita de grande qualidade literária e enorme riqueza vocabular, muito difíceis de encontrar no mundo do ensaio em Portugal. Nestes livros, Nemésio tanto se ocupa de grandes questões da literatura portuguesa e francesa (e aqui passa por Baudelaire e Paul Verlaine), como de autores das literaturas portuguesa, brasileira e espanhola (Tomás António Gonzaga, Almeida Garrett, João de Deus, António Nobre, Raul Brandão, Gomes Leal, Teixeira de Pascoais, Mário de Sá-Carneiro, Miguel de Unamuno, Jorge Guillén, Manuel Laranjeira ou Cecília Meireles, entre outros). Ao mesmo tempo, dá-nos reflexões cientificamente sustentadas, mas num discurso acessível a públicos não especialistas, sobre questões de identidade cultural (como em «O Açoriano e os Açores», «O Marrano, o Solitário, o Monge e o Pessimista», «A Terra e a Grei» ou «O Âmago do Brasil»), sobre aspectos pouco conhecidos da história de Portugal («A Terceira durante a Regência (1830-1832) – Estudo Anedótico de um Ambiente Romântico»), e até sobre história política («Civismo e Política»).

Pelo seu pioneirismo em se ocupar de matérias até então pouco visitadas pelos estudiosos da literatura, e pelo facto de nos seus ensaios Nemésio adoptar algumas perspectivas heterodoxas perante o pensamento dominante nos meios académicos da época, estes livros, principalmente Sob os Signos de Agora, não terão sido bem aceites pela crítica. Agora, nesta nova edição, o leitor poderá encontrar a voz segura, inteligente e límpida de um ensaísta que, ao invés de alinhar por escolas estéticas e de pensamento, sempre redutoras, preferiu sempre pensar pela sua cabeça. E por isso aqui está.

 

Excerto

Sob os signos de agora, do meu transe pessoal aos trinta anos, vai este livro fazer a viagem à roda do meu quarto de todos os impressos portugueses. Nele fracassaram, sob a forma ensaística que o jornal às vezes comprimia até uma espécie de equivalência em prosa do soneto, alguns temas urdidos mentalmente no decorrer de leituras. Tem por isso, na
ordem ideada, a frescura das coisas que não repassaram todo o espírito, e ficará como o roteiro de uma sensibilidade lírica, — demasiado lírica! — no momento em que começava a tentar a volta da cultura.

Nota de leitura

Ficha Técnica

EDIÇÃO CONJUNTA DA COMPANHIA DAS ILHAS E IMPRENSA NACIONAL

Direcção literária de Luiz Fagundes Duarte

Edição deste volume: Ângela Correia

ISBN: 978-972-27-2774-7

Dimensões: 15×19,5cm

Nº páginas: 608

Ano: 2019 | Agosto

Nº Edição (Companhia das Ilhas): 152

Colecção: OBRA COMPLETA DE VITORINO NEMÉSIO #003

Género: Ensaio

PVP: 30 € (para subscritores da Companhia das Ilhas: 14,5€ – válido para os actuais subscritores dos primeiros 4 volumes).

Press-kit

Autor