Novas Estórias Açorianas

Carlos Alberto Machado

Em 2012, o primeiro Estórias Açorianas foi muito bem recebido por leitores e crítica (a obra integra o Plano Regional de Leitura dos Açores e o Plano Nacional de Leitura).
Estas Novas Estórias Açorianas mantêm características que as ligam ao primeiro conjunto: situações e figuras da história e da cultura dos açores e dos quotidianos de hoje, recriadas com ironia e mordacidade.
Eis o que em 2012 escreveu sobre as Estórias de Carlos Alberto Machado a poeta Inês Lourenço: «estimulante colectânea de pequenas narrativas, que nos fazem viajar com gosto e eficácia pela ambiência açoriana. Numa linguagem escorreita e contida, mas plena de referências cultas, numa associação poética entre o concreto e o intangível, vemos desfilar perante os nossos olhos, diversos tipos humanos, cheios de singularidades. Mesmo as vizinhas, as beatas, os velhos baleeiros, os pequenos tendeiros, os eruditos decadentes, comunicam-nos uma espécie de nobreza e probidade, entranhados no fundo marítimo da paisagem insular. Diversos pontos de vista, desde o olhar infantil até aos cambiantes da vida adulta, nos aparecem, numa mansa mas vivaz sabedoria.»

 

Excerto

A gente olha para a vida e ganha cisma em virar-lhe a carranca; vida que se almeja sinfónica mas não passa de mal-amanhado charivari de gaita e berimbau, como dizia o de Seide. Então, vá de entaliscar-lhe umas ficções bem albardadas de adjectivos pomposos e advérbios rutilantes.

Mas a vida nem assim ajaezada se deixa enredar nas malhas da ficção e escouceia a preceito.

Este voltear que se assemelha a burro às arrecuas em vista de palha nova, apenas serve para vos dizer que a estória que se segue se entaramela pelos trilhos aziagos do que parece e não é, por querer fazer parecença com o que poderia ser e… […]

 

[de: FURÚNCULOS]

Nota de leitura

Ficha Técnica

ISBN: 978-989-8592-65-1

Dimensões: 11×15

Nº páginas: 152

Ano: 2016 | Novembro

Nº Edição: 19

Género: Ficção / Conto

PVP: 10

Press-kit

Download Pdf

Autor