Marionetas e Formas Animadas

Miguel Falcão e Catarina Firmo (coord.)

Teorias e Práticas

 

Congregando diferentes áreas artísticas e contextos de intervenção, o teatro de marionetas constitui cada vez mais um campo estimulante para os estudos de teatro, pela sua pluridisciplinaridade, pela diversidade de estruturas cénicas, matérias e formas animadas, assim como pelo lugar multifacetado do marionetista e performer, que se assume em contracena com o objeto que manipula. A investigação sobre marionetas e formas animadas surge neste contexto com o intuito de lançar novos contributos para o cruzamento entre saberes teóricos e competências práticas. Este livro apresenta-se como resposta ao apelo de revalorização das formas animadas, que alia, necessariamente, as vertentes da criação, da investigação e da formação, cuja confluência tem dado origem à recuperação ou preservação de tradições e à renovação ou disseminação de práticas artísticas. Se as marionetas e as formas animadas têm sido, elas próprias, para muitos, e ainda hoje, “coisas inquietantes” (seja porque desafiam os limites do humano, seja porque a vida que adquirem põe em causa antíteses como animado/inanimado), descobri-las e estar na sua presença — por acaso ou de forma intencional — pode ser também, e cada vez mais, um inquietante desafio.

 

Este trabalho é financiado por fundos nacionais através da FCT – Fundação para a Ciência e a Tecnologia, I.P., no âmbito do projeto «UID/EAT/0279/2016».

 

 

 

 

Excerto

Este livro foi pensado de modo a — desejavelmente — integrar motivos de interesse para os leitores mais conhecedores e, também, para quem, em diversos contextos onde as marionetas e as formas animadas são convocadas, desenvolve ou pretende vir a desenvolver uma atividade ainda iniciante.
O subtítulo Teorias e Práticas convoca os modos de pensar e fazer teatro de marionetas num panorama de saberes diversificados, onde as teorias partem de um olhar sobre as práticas e onde os processos criativos permitem repensar as teorias. Encontra-se estruturado em onze capítulos, com diferentes enfoques teórico-práticos, todos atravessados por princípios e preocupações que radicam na investigação e na formação (razão pela qual não foram definidos capítulos específicos para estas duas vertentes). À totalidade dos capítulos subjaz uma implícita organização em três conjuntos, que dialogam entre si, com perspetivas complementares sobre o teatro de marionetas e formas animadas, partindo de um ponto de vista teórico e histórico, prosseguindo com olhares que testemunham e partilham a prática artística, refletindo sobre as suas técnicas e processos criativos e concluindo com um enfoque sobre os seus modos de receção, nas práticas educativas, nas comunidades e na crítica teatral. Assim, os primeiros (capítulos 1 a 3) apresentam um enquadramento geral da problemática das marionetas, propondo uma breve revisão historiográfica, uma leitura dos cruzamentos verificados com diferentes linguagens artísticas e uma resenha de exemplos icónicos da escrita para e sobre marionetas; os seis seguintes (capítulos 4 a 9) percorrem alguns subdomínios do fazer teatral focado nas marionetas, desde o reconhecimento de materiais e a conceção de dispositivos cénicos às técnicas de construção e de manipulação, incluindo a reflexão sobre a preparação corporal e vocal do ator-manipulador e o uso dessas potencialidades expressivas em cena, culminando com a visitação breve de objetos artísticos, a qual, alumiando motivações, processos e resultados, permite uma panorâmica sobre a criação deste tipo de espetáculo; os dois últimos (capítulos 10 e 11) lançam olhares distintos sobre o universo das marionetas, a partir, respetivamente, dos contextos educativos e de intervenção comunitária em que as formas animadas têm presença e, também, do lugar — ora próximo ora afastado, ora especializado ora superficial — da crítica teatral. No cômputo geral, foram consideradas as opções de cada autor ou par autoral quanto à extensão dos textos, às normas ortográficas seguidas e à inclusão de imagens, aspetos em que os capítulos se revelam desiguais.

Nota de leitura

Ficha Técnica

Género: Ensaio
Ano: 2018 | Dezembro
Colecção: azulcobalto | teatro 028 | ensaio 003

Número de edição: 183
ISBN: 978-989-8828-78-1
Dimensões: 14×22 cm
Nº de páginas: 200
PVP: 16€

Press-kit

Autor