Fresco bruegeliano. Dez estudos e um ensaio sobre dramaturgias portuguesas entre 1990 e 2010

António Conde

«O estudo em concreto das propostas dramatúrgicas portuguesas editadas entre 1990 e 2010 foi precedido pela construção de um suporte teórico, que ajudasse a enquadrar este conjunto de textos em dois âmbitos sobrepostos: o século XX português, em termos históricos e culturais e na especificidade dos comportamentos do teatro nesse período; as perspectivas de evolução das artes em geral e do teatro em particular, ao longo deste mesmo período, colocando-se ênfase nas transformações de ordem cultural na viragem para o século XXI.» (da “Introdução”).
Alguns dos dramaturgos estudados: Luísa Costa Gomes, Mário de Carvalho, Jaime Rocha, Jorge Silva Melo, Carlos Jorge Pessoa, Armando Nascimento Rosa, Abel Neves, Jacinto Lucas Pires, Pedro Eiras, José Maria Vieira Mendes; e as várias “dramaturgias emergentes”.

 

Excerto

O estudo aturado das dramaturgias portuguesas na segunda metade do século xx, radicadas numa especificidade dramatúrgica mais atinente às idiossincrasias culturais portuguesas, ou influenciadas pelos veios epicizante e absurdista internacionais, ou, ainda, dissidentes destas conjugações cénicas, em prol de pesquisa e inovação dramatúrgicas próprias, decerto traz clarificação de perspectiva e enfoques produtivos à análise do surgimento, em diversidade e quantidade consideráveis, de novas dramaturgias portuguesas nos anos noventa do século xx; ajudará a contorná-las melhor e a saber de motivações mais profundas, submersas nas escritas e, com frequência, não detectáveis nos planos de enunciação e encenação, e lançará, da mesma forma, alguma luz sobre o que as move e faz projectar.

 

Nota de leitura

Ficha Técnica

ISBN: 978-989-8592-57-6

Dimensões: 14×22

Nº páginas: 544

Ano: 2014

Nº Edição: 49

Género: Ensaio

PVP: 28 €

 

Press-kit

Download Pdf

Autor