Falquejando os dias

Manuel Tomás

Quase um diário, entre um dia 13 de um certo ano e outro dia 13 de um ano incerto. Ou não inserto?
Falquejar é desbastar um pau com uma navalha, para se inscrever o tempo e morrer devagar.
Falquejar a vida para amar o que resta, porque só falquejamos o pau e o pão, mas não falquejamos o vilão…

 

Excerto

FALQUEJOS DOS DIAS

Falquejamos o tempo e a mão, mas não falquejamos o ladrão.
Ao pobre tira-se sempre do quase nada
Ao rico tirar é ficar com muito mais do que o bastante.
Falquejamos o pau e o pão, mas não
falquejamos o vilão.

13 de um mês incerto inserto no ano certo…

Nota de leitura

Ficha Técnica

ISBN: 978-989-8828-54-5

Dimensões: 14×22cm

Nº páginas: 112

Ano: 2018 | Julho

Nº Edição: 136

Colecção: transeatlântico #030

Género: Poesia

PVP: 12 €

Press-kit

Autor