Alecrim, alecrim aos molhos

José Martins Garcia

Antes de mais, um aviso: deixe o leitor a etiqueta, o bom senso e a imaginação domesticada aqui à boca do livro. É que é impossível ler o primeiro conto de Alecrim, Alecrim aos Molhos mantendo essa artilharia protectora. Vai-se tudo pelo ar com o louco delírio de um enorme manicómio que «ocultava perfeitamente tanto as personagens como os desabafos». Se quiser, substitua já, até por questões práticas, manicómio por mundo e fica preparado para o resto das histórias.
Se conseguir passar a montanha russa trágico-cómica da primeira narrativa, onde cabem, entre outros figurões, uma mãe que torturava porcos — e há outros porcos e porcarias neste volume — com uma vara de Marmeleiro, um Poeta que vivia numa gaveta, «rodeado de poemas místicos», um Boémio que dormia dentro dum gramofone, uma donzela Guiomar, que se dedicava a afiar as unhas nas orelhas de rapazes pobres, uma Judite morena, feia como uma cabra e de seios rijos, caricaturas que descem dos quadros para fazer gestos grosseiros, e sobretudo uma grotesca obscenidade que não poupa nenhum ser, estará preparado para o resto da feira popular. Que, sendo feira e sendo popular, mantém um programa pouco agradável no modo como se dirige ao comércio da natureza humana. Mas quem conhece a prosa de José Martins Garcia sabe que este nunca foi dado ao sacerdócio literário.

(Nuno Costa Santos, do Prefácio)

 

Excerto

Nunca se soube ao certo quantos seres habitavam o manicómio. Um, pelo menos um, esteve sempre ausente. A Mãe, torturada como é corrente, ora lhe chamava filho, ora lhe chamava dor. O Pai, presente apenas fisicamente, não lhe chamava nada. Quanto aos outros habitantes, surgiam donde não eram esperados, e quando ninguém os esperava. Pelo que me diz respeito, não sei se cheguei a existir. Só sei que, ao ver-me livre daquela alhada, graças ao alecrim, comecei a perceber que entre presença e ausência não há uma fronteira definida — o que contribuiu decisivamente

Nota de leitura

Ficha Técnica

ISBN: 978-989-8828-52-1

Dimensões: 14×22cm

Nº páginas: 94

Ano: 2018 | Junho

Nº Edição: 134

Colecção: Biblioteca Açoriana 008

Obras de José Martins Garcia 007

Género: Ficção (Contos)

PVP: 12 €

Press-kit

Autor